A REGULAMENTAÇÃO E AUTORREGULAMENTAÇÃO PUBLICITÁRIA NO BRASIL: UMA ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE ORGANIZAÇÕES

Letícia Veríssimo da Silva, Maurício Reinert do Nascimento

Resumo


A discussão sobre a regulamentação da publicidade infantil no Brasil vem gerando polêmica em diversos âmbitos, essa discussão pode ser dividida em dois grupos. O primeiro grupo é formado por aqueles que acreditam que a regulamentação do mercado pode ser feita através dos próprios agentes e publicitários, tendo como principal representante nesse artigo o Conar. O segundo grupo é formado por aqueles que acreditam que o Estado deve intervir nessas relações, sendo o principal representante nesse artigo o Instituto Alana. Este artigo pretendeu demostrar quais os principais argumentos utilizados pelo Conar em defesa da autorregulamentação da publicidade infantil no Brasil e quais os argumentos utilizados pelo Instituto Alana em defesa da regulamentação publicitária infantil no Brasil, utilizando as redes sociais. Foram identificados duas bases principais de argumentos utilizados pelas instituições. A primeira base é utilizada pelo Conar e estão principalmente ligados à questão econômica que a publicidade infantil gera no país. A segunda base de argumentos identificados, é utilizado pelo Instituto Alana, e é ligado a questões sociais do impacto que a publicidade infantil gera nas crianças.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.